02 Fev 2020
Visitas: 309
Print

not-vencedor-open-pt-20Volte-face no final do Portugal Open 2020. O grande mestre arménio Karen Grigoryan venceu o também grande mestre Alksandar Indjic (Sérvia) na partida de todas as decisões e sagrou-se vencedor do maior torneio de xadrez de Portugal, que reuniu no Complexo do Casal Vistoso, em Lisboa, 220 xadrezistas de 34 nacionalidades distintas.


Com o triunfo na primeira mesa, Grigoryan, que era o número 3 à partida – ordem conferida pelo ranking de 2632 pontos Elo - totalizou 7,5 pontos e terminou o open isolado, já que os jogadores que também podiam somar igual número de pontos empataram entre si. Assim, o grande mestre russo e número 1 do torneio Alexander Motylev (2640 pontos) empatou com o jovem grande mestre do Azerbaijão Vugar Asadli (2538), o mesmo sucedendo na mesa 3, no duelo entre o grande mestre russo Evnegy Alekseev (2623) e o grande mestre venezuelano Eduardo Iturrizaga (2597).


À entrada da nona e última ronda, Aleksandar Indjic estava isolado na frente, com 7 pontos, e bastava-lhe um empate para sair de Lisboa com os 2500 euros do primeiro prémio. No entanto, apesar da experiência de já ter vencido o Portugal Open (em 2017), o xadrezista sérvio – número 7 à partida, com 2622 pontos Elo -, Indjic acabou por ser derrotado com as peças negras, numa partida muito emotiva.


O pódio do Portugal Open 2020 ficou preenchido com o russo Evnegy Alekseev, segundo, e Eduardo Iturrizaga, terceiro, que somaram 7 pontos, juntamente com mais seis jogadores. Um deles, o holandês Hugo Ten Hertog, nono classificado, com a performance registada conquistou a segunda norma de grande mestre, ficando a apenas uma de assegurar o título mais importante do mundo do xadrez.


O melhor português do torneio foi o mestre internacional Rui Dâmaso, na 14.ª posição, um lugar acima do campeão nacional e também mestre internacional André Sousa. Ambos somaram 6,5 pontos e obtiveram vitórias na nona ronda: Dâmaso bateu o mestre nacional André Fidalgo, enquanto Sousa superiorizou-se ao mestre FIDE norueguês Eivind Olav Risting.
Quem fechou a prova em beleza foi o mestre nacional Luís Sousa Reis, que venceu o mestre internacional polaco Lukasz Butkiewicz, totalizou 6 pontos e, através do 32.º lugar, cotou-se como o terceiro melhor português, garantindo o apuramento para a final do Campeonato Nacional Absoluto, em setembro. A outra vaga disponível para a final do Nacional foi assegurada por André Fidalgo (42.º).


Da última ronda fica ainda a excelente vitória da mestre FIDE portuguesa Rita Jorge (1933 pontos Elo), que bateu o brasileiro Guilherme Borges, um triunfo essencial para arrecadar o primeiro prémio feminino, por via do 49.º lugar final, com 5,5 pontos, algo excelente para quem era a número 100 do torneio à partida.
Esta foi a terceira vitória em torneios portugueses de Karen Grigoryan, depois dos sucessos do ano passado em Famalicão e em Pombal, em torneios do Portugal Chess Tour, assim como o Portugal Open.


Classificação final: 1.º Karen Grigoryan (GM, Arménia, 2632), 7,5 pontos; 2.º Evgeny Alekseev (GM, Rússia, 2623), 3.º Eduardo Iturrizaga (GM, Venezuela, 2597), 4.º Vugar Asadli (GM, Azerbaijão, 2538); 5.º Aleksandar Indjic (GM, Sérvia, 2622), 6.º Aryan Tari (GM, Noruega, 2635), 7.º Alexander Motylev (GM, Rússia, 2640), 8.º Tigran Ghamarian (GM, Arménia, 2603), 9.º Hugo Ten Hertog (GM, Holanda, 2503), todos com 7 pontos; 10.º Nikita Petrov (GM, Rússia, 2592);… 14.º Rui Dâmaso (MI, Portugal, 2420), 6,5; 15.º André Sousa (MI, Portugal, 2391), 6,5; 32.º Luís Sousa Reis (MN, Portugal, 2187), 6; 42.º André Fidalgo (MN, Portugal, 2282), 5,5; 44.º Sérgio Rocha (MI, Portugal, 2343), 5,5; 49.º Rita Jorge (MFF, Portugal), 1932), 5,5.