Está em...
21 Ago 2012
Visitas: 2376
Print
Email

catarina leiteSeguindo com as nossas pequenas entrevistas, desta vez a eleita foi a WIM Catarina Leite, uma das melhores jogadoras Portuguesas de Xadrez de todos os tempos. A Catarina é uma campeã: ganhou inúmeras vezes o Campeonato Nacional Feminino, e
é uma presença incontestável e imprescindível na Selecção Nacional Feminina. Irá representar Portugal nas Olimpíadas em Istambul e será a treinadora dos nossos atletas no Europeu de Jovens. É a número 1 feminina em Portugal, com 2178 e joga pelo clube Mata de Benfica.

 

 

Pergunta 1:Há quanto tempo jogas xadrez? O que traz o Xadrez para a tua vida, ainda hoje?

Catarina Leite:Jogo xadrez desde os 8 anos, por isso há 21. O xadrez é uma grande paixão. O xadrez traz beleza, alegria/tristeza, desafio, frustração/recompensa, insegurança/segurança... Faz parte de mim! É o meio onde cresci, fiz amigos, consegui alcançar alguns objectivos e continuo a tentar alcançar outros. É difícil imaginar-me sem pensar em xadrez!

Pergunta 2:Que tipo de atividades já realizaste na tua vida, relacionadas com xadrez, mas sem ser propriamente jogar?
Catarina Leite:Já dei aulas e já fui dirigente, das duas actividades prefiro dar aulas, mas o que me dá realmente prazer é jogar!


Pergunta 3:Qual foi o melhor torneio da tua vida?
Catarina Leite:Esta pergunta é sempre difícil responder, pois houve vários torneios que me marcaram, mas vou referir a minha primeira olimpíada, em Istambul, no ano de 2000, onde obtive o título de Mestre Internacional Feminina.


Pergunta 4:Qual é o teu livro preferido? E filme?
Catarina Leite:Nos últimos anos, por causa do curso só li livros técnicos, mas tenho sempre à cabeceira um livro de sonetos de Florbela Espanca.
O filme, o Pulp Fiction e sua brilhante banda sonora!


Pergunta 5:Sabemos que és recém-licenciada, como pensas conciliar o xadrez como actividade extra? (Como jogadora, treinadora..)
Catarina Leite:Como todos sabemos, é praticamente impossível ser-se jogador profissional de xadrez em Portugal, sem um suporte financeiro já existente, por isso mesmo os jogadores mais talentosos escolhem outra profissão. Eu gostaria muito de continuar a competir, mas também sei que é natural, agora, ter muito menos tempo para me dedicar ao xadrez.
Em relação a ser treinadora, como actividade extra, não penso que deva ser essa a nossa mentalidade, senão não damos o passo necessário para credibilizar essa classe no xadrez. Não basta sabermos algumas coisas de xadrez para sermos treinadores, há que ter competências pedagógicas, planeamento e método.


Pergunta 6:Que expectativas tens relativamente ao Europeu de Jovens que vais acompanhar como treinadora?
Catarina Leite:Vai ser uma novidade para mim, sempre que me desloquei a um campeonato destes foi como jogadora. Agora, espero poder orientar e ajudar os jovens a fazerem um bom torneio e a atingir os objectivos.


Pergunta 7:És uma referência para o xadrez nacional e para muitas meninas que jogam xadrez. Que conselhos queres dar às raparigas que querem evoluir na modalidade?
Catarina Leite:O mesmo que daria aos rapazes, que estudem xadrez, que leiam livros sobre as aberturas que jogam, que sejam persistentes e que não fiquem à sombra das conquistas que já conseguiram, pois é sempre possível ir mais além.



Entrevista durante as Olímpiadas 2012

~Entrevistámos a jogadora mais forte da equipa feminina, a Mestre Feminina Catarina Leite, que apresenta neste momento um elo de 2178. A Catarina apresenta um palmarés invejável a nível desta modalidade: ganhou inúmeras vezes o Campeonato Nacional Feminino, e é uma presença incontestável e imprescindível na Selecção Nacional Feminina a nível da participação nas Olimpíadas. Em Portugal, joga pelo clube Mata de Benfica. A Catarina já participou numa Olimpíada realizada em Istambul, no ano de 2000.

Pergunta 1: Quais são as tuas expectativas para esta Olimpíada?
Catarina Leite: Como objetivo pessoal, quero tentar subir no Elo ganhando alguns pontos e também quero fazer boas partidas. Para a nossa seleção, acho que temos todas como objetivo terminar num lugar acima do ranking inicial e acredito plenamente que temos valor para isso.

Pergunta 2: Para já, o que estás a achar da Organização desta Olimpíada em Istambul, visto que já participaste em várias, inclusive numa em Istambul no ano de 2000?
Catarina Leite: A minha opinião é que a organização desta Olimpíada é pior da que a que eu joguei em 2001. Nessa estávamos no centro, podíamo-nos deslocar a pé para o local de jogo, foi bem mais interessante. Nesta estamos um pouco deslocados pois estamos ao pé do aeroporto, e temos de ir de autocarro para o Centro de Exposições onde decorrem os jogos. Também acho que o facto do primeiro jogo ter começado meia hora atrasado – ter começado as 15h30 em vez das 15h locais – também demonstrou alguma inexperiência para realizar este tipo de eventos. De resto, o hotel é bom e as instalações onde jogamos são boas, não tenho mais nada a apontar.

Pergunta 3: Como começaste a jogar e com que idade?
Catarina Leite: Aprendi a ver os meus irmãos a jogar, quando tinha 8 anos. Eles aprenderam na escola através do Plano de Desenvolvimento de Xadrez que exista em Loures, e jogavam bastante entre eles, sem me deixar também jogar por ser a mais nova . coisas de irmãos e de crianças. A certa altura, o responsável pelo Plano de Desenvolvimento de Loures Luís Santos organizou um Campeonato Nacional de Jovens em Louros, que os meus irmãos me levaram a participar – e nesse campeonato fiquei em 1º Feminino no escalão Sub-10, o que me deu direito a participar no meu primeiro Mundial de Jovens, na Alemanha. Desde então, nunca mais parei de praticar a modalidade.

Pergunta 4: Quais são os objetivos no xadrez que queres alcançar?
Catarina Leite: Tenho uma meta clara no xadrez que é chegar a Grande Mestre Feminina.
Este é um objetivo que tenho noção que só o conseguirei quando conseguir alcançar alguma estabilidade na minha vida: terminei agora em Julho o curso de Animação Social e estou à procura de emprego.

Pergunta 5: Qual foi a tua Olimpíada preferida?
Catarina Leite: Foi a de Istambul, em 2000 porque foi onde consegui atingir o meu título de Mestre Feminina, o que acabou por representar um marco na minha evolução no xadrez. Foi mesmo um torneio marcante na minha vida.

 

PROVAS | Resultados

  • 2017/10/22 SuperTaça Resultados
  • 2017/10/21 Campeonato Nacional de Jovens Semi-Rápidas Resultados
  • 2017/10/15 Taça Nacional das Associações 2016/2017 Resultados

Calendário 2016/2017 (Atualização 2017/10/16) Calendário

  • 2017/10/28 XI Festival Internacional da Figueira da Foz Regulamento
  • 2017/11/18 IV Open de Xadrez de Alte Regulamento
  • 2017/12/02 Taça de Portugal por Equipas Regulamento
  • 2017/12/07 IV International Azores Chess Open Regulamento

COMUNICADOS

Suspensão do Campeonato Nacional de Seleções Distritais Normal 0 21 false false false PT X-NONE X-NONE

Membro

fide-pb

ECU

fibda